Síndrome de Sjögren requer atenção multidisciplinar

Resenha crítica do cirurgião dentista e estomatologista Prof. Assoc. Jayro Guimarães Jr.
Os critérios de classificação para síndrome de Sjögren (SS) divulgados pelo American College of Rheumatology (ACR) requerem a colaboração entre asespecialidades de saúde que regularmente tratam esta doença:Reumatologia, Oftalmologia e Estomatologia.
Critérios de classificação foram publicados anteriormente, mas os critérios atuais, apesar de não elencarem grandes novidades, são os primeiros a serem aprovados pelo ACR.
A inclusão de testes objetivos relacionados com as manifestações oculares, orais e sistêmicas da SS são  as características fundamentais dos critérios atuais, que reforçam  e ressaltam a importância da multidisciplinaridade na avaliação da doença e de seu tratamento.
Pelo menos duas de três especialidades de saúde são necessárias para determinar o diagnóstico da doença, de acordo com os novos critérios.Os novos critérios de classificação para a SS são necessários para melhor apoio das pesquisas etiológicas e genéticas e os ensaios terapêuticos para esta prevalente doença autoimune.
Os critérios utilizados para a inscrição em ensaios clínicos precisam ser clarosserem fáceis de aplicar e terem alta especificidade, considerando os efeitos adversos potencialmente graves e comorbidades.Foram propostos critérios de classificação para SS que foram desenvolvidos a partir de dados de registro coletados por meio de instrumentos padronizados e testes diagnósticose são baseados inteiramente em critérios objetivos.
Para serem classificados como tendo SS, os pacientes devem satisfazer pelo menos dois de três dos seguintes critérios:
·Testes de sangue positivo para anticorpos específicos relacionados à autoimunidade (anti-SS-A e / ou anti-SS-B), ou exames de sangue positivo para fator reumatóide e um título de anticorpos ou fatores antinucleares (FAN) igual ou maior que 1:320.
·Ceratoconjuntivite seca (com xeroltalmia) com uma pontuação de três ou superior em testes de coloração feitas com soluções de fluoresceína, desde que o paciente não esteja usando diariamente colírio para glaucoma ou não tenha sido submetido a cirurgia da córnea ou cirurgia cosmética da pálpebra nos últimos cinco anos.
Existem três métodos para isso: van Bijsterveld, Oxford (vide figuras) e National Eye Institute (NEI).
Xeroftalmia (olho seco). Coloração com fluoresceína.
·O exame patológico de uma amostra de biópsia das glândulassalivares menores encontrados no lábioenvolvendo a detecção de focos linfocíticos, indicando a presença de atividade auto-imunitária prejudicando a função salivar.
A validação dos diagnósticos através destes critérios é mais adequada para evitar os erros de classificação que podem apresentar riscos à saúde.
O endereço eletrônico do American College of Rheumatology é http://www.rheumatology.org
_______________
Referência:
Shiboski SC, Shiboski CH, Baer AN, Challacombe S, LanfranchI H, Schiødt M, Umehara H, Vivino F, Zhao Y, Dong Y, Greenspan D, Heidenreich AM, Helin P, KIrkham B, Kitagawa K, Larkin G, Li M, Lietman T, Lindegaard J, McNamara N, Sack K, Shirlaw P,  Sugai S, Vollenweider  C, Whitcher J, Wu A, Zhang S, Zhang W, Greenspan JS, Daniels TE  for The SJögren’s International Collaborative Clinical Alliance (Sicca) Research Groups. American College of Rheumatology Classification Criteria for Sjögren’s Syndrome: A Data-Driven, Expert Consensus Approach in the Sjögren’s International Collaborative Clinical Alliance CohortArthritis Care & Research. Arthritis Care & Research, April 2012;64(4):475– 87. DOI 10.1002/acr.21591
________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *