Quem trata o câncer de boca: o médico ou o cirurgião dentista?

Recebi há alguns dias o comunicado do CRO do Mato Grosso do Sul sobre a semana de prevenção ao câncer de boca. Pensei comigo mesmo: São atitudes como essa que valorizam a profissão. Vou divulgar no Portal da Medicina Oral.

Logo após, acessando o portal de notícias de saúde do Google, um link divulgava o mesmo evento. Pensei então: Que belo trabalho de divulgação o CRO-MS está fazendo.

Mas, no dia seguinte o mesmo portal do Google mudou o link, com o mesmo assunto, para outro de maior peso jornalístico, o Portal G1 da Globo.com. Só que neste a manchete era outra e dizia “Médicos fazem campanha de prevenção ao câncer de boca em MS”. Pensei então: Preciso ajudar a esclarecer esta confusão.

Os cirurgiões dentistas em geral, devem se empenhar na identificação das lesões cancerizáveis ou cânceres de pequeno porte (ex. manchas brancas, vermelhas e feridas que permanecem por longo período de tempo na boca) e dos tumores malignos já instalados (na mucosa, nos ossos maxilares e mandíbula e nos outros tecidos da boca como músculos e glândulas salivares).

“Os casos oncológicos, independente de sua localização inicial, exigem a participação do CD em uma equipe multidisciplinar…”

Estes pacientes devem então ser referenciados ao estomatologista (ou a um cirurgião bucomaxilofacial), que junto ao patologista bucal, são, respectivamente, os CDs responsáveis pela condução clínica e anatomopatológica dos casos, até o tratamento ou acompanhamento das lesões pré-malignas. Se a conclusão diagnóstica for de câncer o paciente deverá ser encaminhado a um médico.

O médico cirurgião de cabeça e pescoço é o único responsável pela remoção dos tumores malignos bucais, que em algumas situações exigem também a retirada de nódulos linfáticos adjacentes. Certos casos também necessitarão dos oncologistas e radioterapeutas, pois podem requerer que outras rotinas, como a quimio e a radioterapia, além da pesquisa de metástases.

“não há porque a globo.com confundir as profissões em sua manchete, já que nenhum dos outros portais o fez. Seria como se chamássemos a Globo de Record, ou de Band.”

Os casos oncológicos, independente de sua localização inicial, exigem a participação do CD em uma equipe multidisciplinar, pois várias condições bucais podem interferir no tratamento (ex. restos dentários, doenças periodontais e endodônticas), assim como efeitos colaterais das condutas médicas podem se manifestar na boca, a exemplo das mucosites.

Assim as duas profissões têm o seu papel bem definido e não há porque a globo.com confundir as profissões em sua manchete, já que nenhum dos outros portais o fez, além de ter citado somente um CD na matéria.

Seria como se chamássemos a Globo de Record, ou de Band.

Lamentável.

__________________________

5 respostas para “Quem trata o câncer de boca: o médico ou o cirurgião dentista?”

  1. Como assim Dr. Paulo? eu não vi essa notícia! Realmente aqui em MS tivemos uma semana de campanha de prevenção, com palestras abertas a população, distribuição de panfletos e mutirões para realização de exames clínicos, foi muito proveitoso! Mas pelo visto e infelizmente o mérito de toda essa bela iniciativa não ficou conosco! lamentável mesmo!

  2. Juliana,
    A maior rede de comunicações do Brasil chamou premeditadamente CDs de médicos.
    Os dermatologistas, cirurgiões de CP e ORL comumente fazem
    biópsias de boca.
    Os laudos são emitidos em sua maioria por patologistas médicos.
    É ou não é necessário que atitudes sejam tomadas pelo CFO?
    Que seja modificada a forma como a profissão é enxergada?
    Que nós mesmos modifiquemos nossas posturas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *