O que é uma especialização em Medicina Intensiva?

Como membro da SOTIERJ recebi um email sobre curso de especialização em Medicina Intensiva (ver http://idor.org/lato-sensu/curso-de-especializacao-em-medicina-intensiva), reconhecido pela AMIB, na rede D’Or do Rio de Janeiro. Interessante ver a carga horária, tempo de duração do curso e inclusão da remuneração.
Nota-se o valor que a Medicina dá a formação em cuidados intensivos.
Mas a mesma AMIB está organizando um curso de Habilitação Oficial em Odontologia Intensiva cujos “instrutores líderes” foram qualificados em um curso de um final de semana (SIC).
Tenho sérias dúvidas se neste curso haverá tempo necessário para que um cirurgião-dentista seja habilitado para atuar em alta complexidade, quiçá em UTI (a não ser que se tenha a higiene bucal como meta única, e que não é da competência exclusiva do CD).
Isso apesar de não estar previsto em estatuto o reconhecimento de CDs pela AMIB, assim como a mesma não prevê o reconhecimento de enfermeiros e fisioterapeutas, que criaram uma entidade específica para este fim em integração da AMIB, AMB e CFM com os conselhos federais das profissões, no caso o COFEN e o COFFITO.
Que o bom senso utilizado para a organização institucional e acadêmica da Medicina Intensiva, Enfermagem Intensiva e Fisioterapia Intensiva seja aplicado para a Odontologia, pois a visão de mercado (ou sua reserva) não deve ficar acima da qualidade e responsabilidade.
Vale a pena citar que as Comissões de Odontologia Hospitalar dos CROs e a SOBEP já se manifestaram contrárias a esta modalidade “oficial” de habilitação de CDs por entidades médicas (SOBRATI e ABS também utilizam-se de expedientes semelhantes).

3 respostas para “O que é uma especialização em Medicina Intensiva?”

  1. Em respeito a hierarquia que o meu cargo exige (de diretor do Departamento de Odontologia da SOTIERJ) o link foi enviado ao Dr. Jorge Eduardo Pinto, presidente da SOTIERJ, que manifestou seu apoio ao texto.
    Recomendou ainda que seu conteúdo seja levado pelo CRO-RJ ao conhecimento da direção nacional da AMIB, que atualmente está se renovando.

  2. Essa “habilitação” é mais uma demonstração de como a Odontologia é tratada pelas entidades medicas e por governantes. Eles simplesmente acham que somos arrancadores de dentes e tapadores de buracos em dentes. Precisamos da interferência enérgica do CRO RJ e CFO. Só espero que a “brilhante ideia” não seja obra prima de um Cirurgião Dentista para arrebatar fama perante aos médicos.

  3. Pois é… A gente só fica pensando quando sair de fato a LEI que tornará nossa presença obrigatória nas UTI… Mas aos colegas de luta, vamos nos RE-UNIR em torno dos CROs, que são as entidades de defesa dos direitos dos CDS, e de onde deve sair não só a base para nossa atuação digna nos Hospitais, como também os verdadeiros profissionais que tem já há anos o mister de atuar em ambiente hospitalar “Antes que um aventureiro lance mão”, mãos a obra e contemos com Deus e uns com os outros.
    Abraços fraternos, Giannini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *