História da Odontologia Hospitalar no Brasil – depoimentos

Escrito originalmente como comentário pelo Dr. Gilceu Pace e transcrito para este novo post especifico sobre a história da Odontologia Hospitalar no Brasil.
_______________

Já que o tema passou a ser focado no histórico da Odontologia Hospitalar e para que não se cometam injustiças com desbravadores e pais da criança sugiro que as Comissões de Odontologia Hospitalar dos CROs de cada estado da federação se debrucem na pesquisa dos fatos históricos regionais da atuação dos seus CDs em ambiente hospitalar, para que no final seja compilado o texto real dos fatos e que o mesmo seja aprovado na futura Reunião Geral das Comissões como representante do histórico oficial da OH.
Da minha parte, gostaria de colocar que há 43 anos os professores Dr.Gilberto Marcucci e Dr.Geraldo dos Santos, oriundos da Estomatologia (antes Semiologia) da FOUSP e outros colegas entre os quais me incluo, iniciaram no Hospital Heliópolis SUS (antes INAMPS/MS), o atendimento de pacientes especiais (antes excepcionais internados no 7º andar), sob anestesia geral em Centro Cirúrgico.
Ambulatorialmente, no 2º andar, realizávamos o diagnóstico e tratamento dos pacientes encaminhados pela rede pública de saúde e demais pacientes internados nas Clinicas Médicas do HH (Dermato, Gastro, Procto, Pneumo, Cardio, Onco, UTI, Moléstias Infecciosas, Cabeça e Pescoço e Hematologia).
Paralelamente era dado o Curso de Aprimoramento Profissional em Estomatologia com 4 (quatro) bolsas da FUNDAP no CEPE Centro de Estudos e Pesquisas em Estomatologia “Prof.Dr.Gilberto Marcucci”) com carga horária de mais de 1450 horas que após reconhecimento da especialidade de Estomatologia pelo CFO se enquadrou nas normas oficiais com a participação de 12 (doze) alunos/ano .

Fica assim feito este registro, mas recomendaria entrevistar os fundadores que até o momento permanecem vivos.

Uma resposta para “História da Odontologia Hospitalar no Brasil – depoimentos”

  1. Caro Dr. Gilceu,
    Muitíssimo obrigado pelo depoimento.
    Espero que tenha entendido sobre o que foi escrito no texto original pois lá, em nenhum momento houve a intenção de se dar uma paternidade à OH.
    Prova é a entrevista que publiquei no ano passado com o Dr. Nataldo Alexandre em http://www.medicinaoral.org/2012/07/13/a-historia-da-odontologia-hospitalar-no-brasil-dr-nataldo-alexandre-rj/.
    E também com o Dr. Paulo Martins, ver http://www.medicinaoral.org/2012/06/22/a-historia-da-odontologia-hospitalar-no-brasil-dr-paulo-martins-mg/
    De qualquer forma sua ideia é ótima e fico a disposição para a divulgação do trabalho destas ilustres autoridades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *