Abertas as inscrições ao II Congresso Brasileiro de Dor Orofacial

Fonte: http://sbdof.com/

As inscrições ao II Congresso Brasileiro de Dor Orofacial promovido pela SBDOF já estão abertas. A secretaria executiva do congresso será gerenciada pela Interevent. As inscrições, bem como a submissão de trabalhos científicos, podem ser realizadas pelo site oficial do congresso.

CLIQUE AQUI E ACESSE AGORA!

Aproveitem os descontos promocionais até 27/02/2015

O Congresso acontecerá dias 22 e 23 de maio no Auditório Moise Safra no Hospital Albert Einstein em São Paulo.

Elsevier lança livro Fundamentos da Odontologia em Ambiente Hospitalar /UTI

Fonte: http://www.segs.com.br/saude/29573-elsevier-lanca-livro-fundamentos-da-odontologia-em-ambiente-hospitalar-uti.html

Chegou Fundamentos da Odontologia em Ambiente Hospitalar /UTI 1ª ED. Cada capítulo aborda um tema de forma abrangente, atualizada, com conceitos científicos,condutas e técnicas clínicas bem estabelecidas que visam a qualidade de vida dos pacientesinternados ou aqueles que, por motivo de ordem médica, necessitam da atenção do profissional cirurgião-dentista.

Fundamentos da Odontologia em Ambiente Hospitalar /UTI 1ª ED traz de forma simples e didática a experiência clínica e as competências necessárias para a inserção do cirurgião-dentista em equipes multidisciplinares e multiprofissionais de ambientes hospitalares.

A obra é uma contribuição importante à odontologia brasileira, fruto do empenho e dedicação da Profª. Drª. Teresa Márcia Morais e de todos os autores colaboradores.

Último dia – Residência Multidisciplinar no Rio Grande do Sul

Hoje é o último dia de inscrição para o Processo Seletivo Público destinado à seleção de vagas aos Programas de Residência Integrada em Saúde Bucal na UFRGS:

Pelo momento presente em que se discute o formato de habilitação em Odontologia Hospitalar e o reconhecimento dos profissionais já aptos a receberem a certificação pelo CFO, vale a pena se informar mais sobre o assunto RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL.

Abaixo algumas informações sobre o curso que constam no edital. Veja http://www.ufrgs.br/odontologia/ensino/odonto/pos-graduacao/residencia/edital-de-selecao-01-2015-1/view

_________________________________________

- Saúde da Família e Comunidade;
- Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-faciais;
- Estomatologia;
- Endodontia;
- Periodontia.

Os Programas têm como base os projetos credenciados junto ao Sistema da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde ‐ SisCNRMS, do Ministério da Educação, e os projetos cadastrados nos Sistemas de Pós‐Graduação da Universidade (…) integrando o credenciamento federal das Residências em Área Profissional da Saúde pelo Ministério da Educação.

(…)

Os programas de Residência Integrada em Saúde Bucal desenvolverão suas ações de maneira integrada à rede e dividir-se-ão em dois eixos de formação: eixo de saúde coletiva e eixo de área temática.
1. Das definições Gerais para os Programas de Residência Integrada em Saúde
Bucal:
As Residências Integradas em Saúde referidas neste Edital serão desenvolvidas em
regime de 60 (sessenta) horas semanais e de dedicação exclusiva. O candidato
selecionado como Profissional Residente fará jus à Bolsa de Educação pelo Trabalho em valor isonômico à Bolsa de Residência Médica (na data presente, no valor de R$2.976,26 – dois mil novecentos e setenta e seis reais e vinte e seis centavos), em conformidade com o especificado na Lei 11.129/2005. Profissionais Residentes receberão acompanhamento docente‐assistencial de responsabilidade conjunta da Universidade e órgãos ou instâncias conveniadas dos setores da saúde, assistência social e educação, com duração de 24 (vinte e quatro) meses letivos, à exceção do Programa de Residência na ênfase em Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial que terá duração de 36 (trinta e seis) meses, conforme itinerário percorrido em atividades prático-aplicativas nos cenários de prática (80% da carga horária total) e atividades de ensino e orientação (20% da carga horária total).

(…)

Os Programas de Residência Integrada em Saúde são desenvolvidos em âmbito
local, locorregional, interinstitucional e intersetorial, envolvendo instâncias e serviços de saúde, educação e assistência social em Porto Alegre e região metropolitana, vivências e estágios programados em diferentes cenários do SUS.

(…)

Todos oferecerão ao programa de residência a oportunidade de vivências e estágios em seus Departamentos e Serviços, tais como: Departamento de Ações em Saúde (DAS) e Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial (DAHA) da SES/RS; e Instituto Municipal da Estratégia de Saúde da Família (IMESF), Coordenação de Saúde Bucal, Assessoria de Planejamento (ASSEPLA) e Unidades de Saúde da Família (USF) e Hospital de Clínicas de Porto Alegre, que são cenários de prática da Prefeitura Municipal de Porto Alegre ou vinculadas a ela por meio de contratualização.

Ampliando o escopo da Microbiologia Oral

Fonte: http://www.ung.br/zf/noticia/4041-artigo-de-odontologia-esta-entre-os-10-mais-acessados-de-2014-

Artigo de Odontologia está entre os 10 mais acessados de 2014

Publicado pelo Journal of Dental Research, conteúdo traz revisão sobre patógenos associados à periodontite

O Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UnG começa o ano com mais uma notícia para comemorar. Um artigo produzido por doutorandos e pós-doutorandos está entre os dez mais acessados de 2014 do Journal of Dental Research, veículo científico de maior impacto de toda Odontologia.

O estudo foi orientado pela profa. dra. Magda Feres e faz parte do projeto de pós-doutorado da pesquisadora Juliana Perez-Chaparro e da tese de doutorado da aluna Cristiane Gonçalves.  O artigo traz resultados de uma revisão sistemática sobre o papel de novas bactérias orais no aparecimento e progressão da periodontite. “Atualmente, existem aproximadamente 10 espécies de bactérias orais que são associadas com a etiologia da periodontites, que são infecções que acometem os tecidos de suporte dos dentes e muitas vezes levam à perda dentaria. Esse artigo sugere que pelo menos outras 17 espécies podem ser apontadas como patógenos periodontais”, esclarece Feres.

Segundo a pesquisadora, um ponto interessante é que muitas dessas novas espécies nunca foram cultivadas e por isso não são identificadas pelos métodos tradicionais de diagnóstico microbiológico. “Esses dados podem guiar novos estudos sobre o real papel desses possíveis patógenos na etiologia das periodontites, contribuindo para o diagnóstico mais preciso dessas infeções e consequentemente, para o desenvolvimento de terapias preventivas e terapêuticas mais eficazes”.

Em agosto de 2014, o mesmo artigo foi recomendado pelo prestigiado site Faculty of 1000, com indicação do professor Robert Palmer, membro do National Institutes of Health (NIH) e importante pesquisador da área de microbiologia oral.

O F1000 é um diretório de artigos em Biologia e Medicina recomendado por um grupo de cinco mil cientistas e pesquisadores de todo o mundo.  Basicamente, a página lista artigos que “devem ser lidos”, pois apresentam destacada relevância para diversas áreas da biologia e medicina.

Recém formada em Odontologia ganha na Loteria: Vai cursar uma residência e será respeitada no meio hospitalar.

Fonte: http://www.segs.com.br/educacao/sobre-educacao/categ-educacao/29146-formada-pela-unesp-e-aprovada-em-primeiro-lugar-em-concurso.html

A cirurgiã dentista Bruna Fernandes do Carmo Carvalho, formada em dezembro de 2014, pelo Instituto de Ciência e Tecnologia da Unesp de São José dos Campos, foi aprovada em primeiro lugar na Residência em Estomatologia do AC Camargo Cancer Center.
O Departamento de Estomatologia do A.C.Camargo Cancer Center é pioneiro no Brasil. Foi criado juntamente com o hospital, em 1953, para realizar diagnóstico e tratamento das doenças da boca e do complexo maxilofacial dos pacientes atendidos na Instituição.
A Estomatologia é uma especialidade, aprovada, regulamentada, registrada e reconhecida pelo Conselho Federal de Odontologia, que atua de forma integrada e interdisciplinar.
O Departamento de Estomatologia também é responsável pela prevenção, ou seja, busca amenizar os efeitos colaterais que os pacientes submetidos podem apresentar na boca e órgãos anexos como as glândulas salivares decorrentes do tratamento de câncer e/ou de longos períodos de internação.
A equipe é composta por dentistas especializados em patologia bucal, cirurgia buco-maxilo-facial, estomatologia e prótese buco-maxilofacial que promove a reabilitação de deformidades faciais com a reconstrução por meio de implantes e próteses buco-maxilofacial.
Toda a equipe do Departamento de Estomatologia atua de forma integrada com as demais especialidades, como a Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Oncologia Clínica, Radioterapia, Oncologia Pediátrica, entre outras.
Bruna Fernandes do Carmo Carvalho sempre se destacou enquanto aluna do curso Noturno de Odontologia e procurou participar de atividades extracurriculares desde o início da graduação.
No primeiro ano foi contemplada com bolsa PIBIC CNPq e, no decorrer do curso, com duas bolsas de Iniciação Cientifica da Fapesp. Artigo científico decorrente do trabalho de Iniciação Científica foi publicado em revista internacional durante a graduação. Ela aguarda ainda a resposta de periódicos internacionais para aprovação de outros artigos confeccionados durante os períodos das bolsas Fapesp.
Bruna também participou dos projetos de extensão da Disciplina de Propedêutica Estomatológica “Centro Multidisciplinar de Diagnóstico de Doenças da Boca – CEDOB”, em que se realiza o diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com lesões de boca e também do projeto “Atuação multidisciplinar para conscientização e tratamento do tabagismo crônico de pacientes submetidos a tratamento odontológico”, que tem como objetivo a promoção de saúde do adulto fumante submetido a tratamento odontológico no ICT pela conscientização quanto à repercussão causada pelo tabagismo crônico à saúde bucal e sistêmica, além de oferecer o tratamento para cessação do hábito.

6º Encontro Nacional das Comissões de Odontologia Hospitalar contou com apoio do CFO

Fonte: http://cfo.org.br/destaques/6%C2%BA-encontro-nacional-das-comissoes-de-odontologia-hospitalar-contou-com-apoio-do-cfo/ . Um novo post será gerado para comentar este encontro.

______________________________________

O presidente do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Ailton Morilhas, participou do 6º Encontro Nacional das Comissões de Odontologia Hospitalar dos Conselhos Regionais de Odontologia (CROs). O evento foi organizado pelo CRO-PA, realizado em Belém (PA), nos dias 16 e 17 de janeiro, no auditório do Hospital Porto Dias. “Vamos sempre trabalhar com os CROs pela qualidade da saúde bucal. Por isso, encontros como este são muito importantes para a população”, diz Morilhas.

Os principais objetivos foram elaborar a proposta sobre a Habilitação em Odontologia Hospitalar – apresentada na última Assembleia Nacional de Especialidades Odontológicas (ANEO), uma assembleia de caráter consultivo, promovida pelo CFO; e discutir como os procedimentos odontológicos podem ser inseridos no rol de procedimentos hospitalares da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), para que os usuários de planos de saúde possam receber atendimento odontológico quando estiverem internados, incluindo as Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

A solenidade de abertura contou com a presença do presidente do CFO, Ailton Morilhas, que compôs a mesa juntamente com o presidente do CRO-PA, Roberto Pires; a coordenadora da Comissão de Odontologia Hospitalar do CRO-PA, Rosely Cavaleiro; e o chefe da Divisão de da ANS de Belém, Uender Xavier. O evento foi também prestigiado pelo coordenador nacional de Saúde Bucal, do Ministério da Saúde (MS), Gilberto Pucca, que falou sobre a evolução das Políticas de Saúde de Bucal, desde a Atenção Primária até a Terciária, onde se inclui o atendimento odontológico hospitalar. Pucca também apresentou as principais propostas do MS para o setor no Brasil e como o CFO e CROs podem participar dessa construção.

Segundo Rosely Cavaleiro, os participantes elaboraram uma lista de procedimentos odontológicos, que serão encaminhados para a ANS, com a finalidade de incluí-los no rol de procedimentos hospitalares dos planos de saúde, para que os usuários possam receber atendimento odontológicos durante a internação, incluindo a UTI.

Sobre a proposta de Habilitação em Odontologia Hospitalar: será encaminhada à Comissão de Ensino do CFO, que deverá concluir o detalhamento das atribuições do cirurgião-dentista para trabalhar em ambiente hospitalar.

CFO - Em seu pronunciamento, Ailton Morilhas disse que o CFO e os CROs já passaram por muitas batalhas e venceram várias com a ajuda de Deus. “Mas não podemos jamais deixar de lutar por uma população que confia em nós, pela busca pela qualidade em odontologia e proteção à sociedade. Por todas essas pessoas é que sempre ressalto o comprometimento dos Conselhos em trabalhar em unidade com as instituições da classe odontológica, pela busca da qualidade em Odontologia. Assim, vamos fortalecendo o diálogo e as ações voltadas ao interesse do coletivo”, disse o presidente do CFO.

Dentre as vitórias, Dr. Ailton destacou a alcançada pelo CFO, por meio da Comissão Parlamentar, no projeto de lei (PL) nº 2.776/2008, que estabelece a obrigatoriedade de cirurgião-dentista nas UTIs no âmbito da rede pública e privada de saúde, aprovado em 10 de abril de 2013, por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e agora segue para aprovação do Senado Federal e sanção presidencial. “A presença desse profissional pode salvar vidas, além disso, a Anvisa, em sua RDC 7, já prevê a presença de cirurgião-dentista nas equipes multidisciplinares mínimas dos hospitais público, privados, militares e filantrópicos. Vamos lutar para que isso efetivamente se cumpra”, ressaltou o presidente do CFO, que, por fim, deixou uma mensagem de São Francisco de Assis para reflexão: “comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível e de repente você estará fazendo o impossível”.

CRO-PA - O presidente do CRO-PA, Roberto Pires, reafirmou o seu apoio ao trabalho da Comissão de Odontologia Hospitalar do CRO-PA que vem desenvolvendo a Campanha Boca Saudável Reduz Riscos de Infecções na UTI, além de outras atividades. Pires ressaltou  que o papel do CFO e dos Conselhos Regionais é proteger a sociedade. “Por isso o nosso empenho em defender o cumprimento da resolução da Anvisa e a aprovação do projeto que assegura a inserção do cirurgião-dentista na UTIs, assim como fazer cumprir tudo que prevê o Código de Ética Odontológica”, concluiu.

Só se eu estiver morto…

O texto abaixo foi escrito pelo Prof. Robert A. Strauss, presidente do Colégio Americano de Cirurgia Oral e Maxilofacial e publicado no triple oral de dezembro último. Veja aqui o texto na íntegra.

______________________________

_Só se eu estiver morto um cirurgião oral irá remover uma glândula submandibular de um paciente!

“Em 1980, como residente do primeiro ano em Cirurgia Oral e Maxilo-facial (OMFS), essas palavras ecoavam enquanto eu observava um antigo cirurgião otorrinolaringológico de pé na frente, ou melhor, bloqueando a porta de entrada para a nossa sala de operação. O chefe dos residentes, tendo sido bem treinado no procedimento e sentindo-se confiante de que ele seria bem auxiliado pelo seu assistente, rapidamente concordou com suas exigências e, após passar pelo velho, sorriu e perguntou qual a forma de morte que ele preferiria, de modo que pudéssemos preparar adequadamente.

Foi um momento decisivo na minha carreira. Fiz duas decisões aquele dia. A primeira era que eu seria total e integralmente treinado em todo o âmbito da minha especialidade. Eu queria fazer muito mais do que tirar dentes e reparar as fraturas de mandíbula ocasionais. A segunda foi que, estando muito bem treinado, eu não permitiria que ninguém dissesse o que eu podia ou não podia fazer na minha carreira profissional, desde que fosse legal e que me sentisse confortável sobre realizar o procedimento lidando com qualquer complicação possível….”

_____________________________

Como vocês podem ver era uma fase decisiva para a escalada da especialidade da cirurgia oral americana rumo ao sucesso. Ninguém precisa dizer que o Dr. Robert alcançou o esperado status profissional que almejava mas, porque ele estaria lembrando disso agora, após mais de 3 décadas?

Na verdade este texto (leia a íntegra) é um desabafo de quem tanto lutou pela especialidade e agora vê seus residentes saindo das pós-graduações e se dedicando a vida de consultório ou, mais especificamente, à extração de cisos e instalação de implantes.

O lamento do Professor Robert é o de quem sabe da importância da presença do cirurgião oral nos hospitais, e com atuação plena, para o futuro da especialidade. Pois, se hoje a cirurgia oral americana possui um status médico invejável é devido a pioneiros e desbravadores como ele.

No Brasil estamos lutando pela consolidação da Odontologia Hospitalar. Que esta, junto com a já estruturada Cirurgia Bucomaxilofacial, galguem os degraus que ainda são precisos para restabelecer o prestígio e a estima que a Odontologia merece. E que este nunca se perca, como também teme o Prof. Robert lá nos EUA.

__________________________

Atualizado em 04/02/15

Conversando com amigos da Cirurgia Bucomaxilofacial que participam de eventos internacionais fui informado sobre alguns dos motivos que têm tirado os Cirurgiões Orais e Maxilofaciais (como eles se chamam nos EUA) dos hospitais:

- Seguros (de responsabilidade civil e técnica) muito caros para lidar com os inúmeros processos.

- Possibilidades de ganhos financeiros altíssimos atuando junto aos planos de saúde. Alguns cirurgiões chegam a faturar centenas de milhares de dólares mensalmente.

- Alto reconhecimento profissional deles permite que atuem em segmentos que extrapolam a área odontológica básica, como a cosmética facial, ampliando a possibilidade de ganhos.